22/07/11 | 12:20
Prefeitura vai abrir licitação para novo aterro sanitário

A Prefeitura de Manaus vai contratar empresa especializada para promover a destinação final dos resíduos sépticos e hospitalares. O anúncio da abertura de licitação para contratação de um aterro sanitário específico para o tratamento do lixo hospitalar foi anunciado na quinta-feira (21) pelo subsecretário da Limpeza Pública (Semulsp), o engenheiro ambiental Túlio Kniphoff, durante visita da imprensa ao Aterro Controlado de Manaus (ACM). Os jornalistas foram conferir como funciona o acondicionamento do lixo hospitalar em Manaus.

De acordo com Kniphoff, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) – instituição ligada à Universidade de São Paulo – está realizando um levantamento sobre a geração de resíduos sólidos de diversas classificações, em Manaus, para elaboração do edital de licitação. “A empresa vencedora terá de estar capacitada para executar serviços de armazenamento, tratamento (autoclavagem) e destinação final de resíduos sépticos e hospitalares”, reforçou o subsecretário. Outra exigência é que a empresa tenha licença ambiental emitida pelos órgãos ambientais competentes, o que significa que ela deve instalar um “aterro sanitário” no sentido técnico da palavra, ou seja, um local que antes de receber qualquer tipo de resíduo tenha seu terreno preparado para esse fim. Isso significa, por exemplo, nivelamento da terra, mantas de PEAD ou PVC, selamento da base com argila etc.

A instalação do novo aterro sanitário obedece a orientações do Ministério Público Estadual e da Vara do Meio Ambiente (Vemaqa), assim como a legislação ambiental brasileira, a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e ao Plano Diretor Municipal de Resíduos Sólidos.

Lixão, aterro controlado e sanitário

Um lixão é um local onde apenas depositam o lixo da cidade. O local não tem nenhuma preparação antes, nem depois, para evitar o a contaminação do solo ou dos recursos hídricos. Nesses lixões é comum ver moscas, ratos, urubus e tudo que se alimenta de restos. Há cidades em que ainda há pessoas que fazem catação de resíduos nos lixões. Não é o caso de Manaus.

O aterro controlado é uma fase intermediária entre o lixão e o aterro sanitário. Normalmente é um terreno ao lado do lixão que foi sendo transformado e adaptado às normas de segurança ambientais. É o caso de Manaus. Nesse novo terreno foram abertas células (valas), cobertas com mantas impermeáveis, onde o lixo domiciliar é depositado e, posteriormente, coberto com barro e grama. Nessas células também é possível captar gás metano. Existem ainda lagoas específicas para coleta do chorume, impedindo a contaminação de lençóis freáticos.

Em Manaus, quem monitora os recursos hídricos no entorno do aterro controlado é a CPRM.

O aterro sanitário é aquele local que, antes de receber qualquer resíduo já foi previamente preparado para esse fim. Ou seja, nivelamento de terra, mantas de PEAD ou PVC, selamento da base com argila, e obedece a todas as normas para disposição adequada dos resíduos sólidos urbanos.

No aterro sanitário, assim como no aterro controlado, o lixo é coberto diariamente com barro, evitando proliferação de animais vetores de doenças, do mau cheiro e da poluição visual.

Assessoria de Imprensa da Semulsp

Solange Elias

3216-8014 9106-4631  8844-5272 

solange.elias@pmm.am.gov.br

Foto: D’Castro/Semulsp

@semulsp

Facebook/semulsp limpeza publica