19/05/20 | 8:30
Máscaras de proteção descartadas irregularmente são encontradas na Ponta Negra

Máscaras descartáveis e caseiras jogadas no chão foram encontradas no complexo turístico Ponta Negra, zona Oeste, durante a limpeza do parque, nesta segunda-feira, 18/5. Servidores da Guarda Municipal e da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp) encontraram o material descartado irregularmente, colocando em risco tanto os funcionários da limpeza urbana quanto outras pessoas.

 

“Mesmo com o parque e a praia interditados desde o dia 22 de março, uma parte da população continua usando o espaço para passear e praticar atividades físicas, irregularmente”, observa o diretor-presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), Cláudio Guenka.

 

A Prefeitura de Manaus instalou na Ponta Negra a nova campanha de alerta para os riscos de o cidadão estar na rua passeando, não fazendo o isolamento social recomendado pelas autoridades de saúde. As peças publicitárias trazem a estimativa de sepultamentos para maio e pedem para a população ficar em casa, escolhendo o lado da vida, não se expondo.

 

Responsável pela administração do espaço, o Implurb já fez a redução da energia de áreas do parque, do skate até o estacionamento recuado. O calçadão também teve as luzes reduzidas, para evitar a aglomeração de pessoas e o uso para caminhadas e corridas. Peças publicitárias foram criadas para orientar frequentadores, que este momento não é de passear no parque.

 

A medida é parte das determinações do prefeito Arthur Virgílio Neto, para estimular o isolamento social e proteger a população do contágio pelo novo coronavírus, causador da Covid-19. A interdição foi alinhada entre a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e o Implurb.

 

Descarte correto

Para evitar que as máscaras sejam jogadas no chão ou em lixo comum, a prefeitura vai intensificar a campanha para a correta destinação das máscaras usadas. As descartáveis são classificadas como lixo hospitalar infectante, porque podem estar contaminadas e, por isso, não devem ser misturadas ao lixo comum. As máscaras caseiras devem ser guardadas e lavadas pelo cidadão, em sua casa.

 

“Faz parte da conduta desejável a toda a população, não apenas o manuseio correto e uso contínuo das máscaras, como também o descarte regular desse item. Recomendamos ao cidadão que queira jogar fora sua máscara, que procure uma lixeira próxima e descarte lá. Jogar no chão não é uma opção, já que, além de sujar a cidade, pode contaminar o agente de limpeza ou outro cidadão que tenha contato com o material”, salienta o titular da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), Paulo Farias.

 

Por determinação do prefeito Arthur Virgílio Neto, informa Farias, a Semulsp vem implantando lixeirinhas em todas as grandes avenidas da cidade. “Já temos as avenidas Djalma Batista, Darcy Vargas, Mário Ypiranga, Jacira Reis, Dr. Theomário Pinto, Ephigênio Salles e mais alguns parques com esse equipamento, para que todos possam usar. A previsão é disponibilizar 10 mil lixeiras em ruas de grande movimentação de Manaus. Isso significa que será muito mais fácil descartar as máscaras usadas. Limpeza também é parte das ações de combate à Covid-19″, informa o secretário.

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomenda o seguinte procedimento para descarte correto da máscara: retirá-la pelo elástico ao redor das orelhas, sem tocar a parte frontal do tecido; depositar a máscara usada em um saco plástico fechado e jogar fora separado do lixo comum; lavar imediatamente as mãos após o descarte com água e sabão ou álcool a 70% (líquido ou gel).

 

Obrigatoriedade

O uso de máscaras de proteção, que ajudam no combate à proliferação do novo coronavírus, passou a ser obrigatório em estabelecimentos comerciais e no transporte público e privado de Manaus, desde o último dia 11, por decretos assinados pelo prefeito Arthur Virgílio Neto e publicados no Diário Oficial do Município (DOM), edição n° 4.835. Com a sanção da lei municipal nº 2.607/2020, no dia 13 deste mês, os decretos ganharam força.

 

As máscaras, seguindo a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS), devem ser, de preferência, as de fabricação caseira, com duas camadas de tecidos bem ajustados ao rosto, de modo que possibilite a cobertura total da boca e do nariz.

— — —

Matéria divulgada em 18/05/2020 18h47

Texto – Divulgação / Implurb